Sindicato dos Trabalhadores em Telecomunicações

Você está aqui: Home Notícias

Claro pagará PPR nesta sexta-feira, 09

Após a aprovação da proposta de Acordo Coletivo pelas assembleias e mediante intensa negociação com o Sinttel-Goiás, a Claro se comprometeu a pagar o PPR 2017. A empresa informou ao Sindicato que o pagamento será feito amanhã (sexta-feira, 09).

Sisu 2018: resultado é divulgado; listas de aprovados podem ser consultadas

Sisu convoca estudantes que fizeram o Enem para universidades federais e estaduais.
O resultado do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) foi divulgado nesta segunda-feira (29), no site http://sisu.mec.gov.br/. Estão disponíveis as listas de aprovados de cada curso das 130 instituições participantes.
Em minutos, o sistema já apresentava instabilidade, como é possível ver no aviso abaixo, que apareceu às 9h07. O MEC afirmou que a equipe de manutenção está resolvendo o problema e que é possível acessar os resultados pelo link http://sisualuno.mec.gov.br. Basta preencher com o número de inscrição e a senha de acesso.

Site do Sisu apresenta instabilidade. (Foto: Reprodução/Sisu)
A primeira chamada também pode ser consultada nas páginas das universidades que integram o programa e na central de atendimento do Ministério da Educação (MEC), pelo número 0800-616161.
Aqueles que forem selecionados devem verificar, junto à instituição em que foram aprovados, qual o local, o horário e os documentos necessários para a matrícula. O prazo para efetivá-la vai do dia 30 de janeiro ao 7 de fevereiro.
Listas de espera
Podem tentar participar da lista de espera aqueles que:
•    não forem selecionados em nenhuma das duas opções de curso na chamada regular;
•    ou os que tenham sido convocados para a segunda opção.
Caso o candidato queira tentar, deve entrar em seu boletim de notas entre os dias 29 de janeiro e 7 de fevereiro e clicar no botão correspondente à "confirmação de interesse em participar da lista de espera". O sistema irá emitir uma notificação avisando que a solicitação deu certo.
Os resultados serão publicados pelas próprias instituições de ensino a partir do dia 9 de fevereiro - e não pelo site do Sisu. É importante, portanto, que cada candidato acompanhe as convocações feitas pela universidade em que busca estudar.
Calendário do Sisu 2018
•    Inscrições: de 23 de janeiro até as 23h59 de 26 de janeiro
•    1ª chamada: 29 de janeiro
•    Matrículas dos aprovados na 1ª chamada: de 30 de janeiro a 7 de fevereiro
•    Manifestação de interesse na lista de espera: de 2 de fevereiro até as 23h59 de 7 de fevereiro
•    Resultados das listas de espera: a partir de 9 de fevereiro
Fonte: G1

Trabalhadores da Claro aprovaram ACT

Leia mais...

        O Acordo Coletivo de Trabalho 2017/2019 da Claro foi aprovado em assembleia realizada na última sexta-feira, 12, nos postos de trabalho. Com 111 votos a favor e 17 contra, além do ACT os trabalhadores aprovaram também o desconto assistencial. Contribuição de 1% nos salários.        O pagamento das diferenças do salario, décimo terceiro e férias serão pagas após 10 dias a contar da data da assinatura do acordo e a aprovação a nível nacional. Já a PLR será paga até o dia 31 de março.
      “A aprovação deste acordo pelos trabalhadores é a prova que o sindicato faz o que é deferido pelos trabalhadores Devemos continuar unidos para que possamos avançar ainda mais em prol da nossa categoria.” Afirmou o presidente do Sinttel-Goiás, Alessandro Torres.
      Dentre os pontos que foram aprovados no ACT estão: 2,07%  de reajuste salarial, educação infantil, auxílio educação especial e no programa de alimentação. A extinção de adiantamento compulsório de 50% do 13º salário em fevereiro,  mantendo a possibilidade de adiantamento de 50% do 13º salário no período de férias entre os meses de janeiro a novembro mediante solicitação do trabalhador.

CLIQUE AQUI e veja o informativo em pdf

Claro, Oi, TIM ou Vivo? Veja ranking das operadoras com mais reclamações na Anatel

Número total de queixas caiu 12,9% em relação ao registrado em 2016. Na telefonia móvel pós-paga, a TIM foi a única que registrou aumento de reclamações. Net e Vivo tiveram aumento de reclamações na TV por assinatura. Também cresceram queixas da banda larga da Net.
Seja qual for sua operadora, é possível que em algum momento você tenha decidido reclamar sobre a qualidade de algum serviço, queda de sinal, estabilidade de imagem ou sobre a velocidade de conexão. Há, no entanto, boas notícias no horizonte.
Relatório divulgado hoje pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) indica que houve queda na quantidade de queixas recebidas sobre os serviços prestados pelas operadoras pelo segundo ano seguido. E foi o segundo ano seguido de retração.
O ano de 2017 terminou com 3,4 milhões de queixas, 506 mil a menos que em 2016. Trata-se de uma redução, de 12,9% no volume. Entre 2015 e 2016 as reclamações caíram 4,3%. A Anatel afirma que ainda há bastante espaço para a redução de reclamações, especialmente na banda larga fixa.
Todos os serviços (banda larga fixa, telefonia fixa, telefonia móvel pré-paga e pós-paga, e TV por assinatura) registraram redução nas reclamações. Juntos, totalizam 327.267.253 contratos ativos. As queixas somaram 3,4 milhões. Ou seja,  a relação entre o total de assinantes e o número de reclamações é de 1,2%.
Volume de reclamações por serviço
Serviço    2016    2017    2017-2016    Variação
Telefonia fixa    943.680    760.992    -182.688    -19,4%
Telefonia móvel pré-paga    595.016    485.951    -109.065    -18,3%
Banda larga fixa    580.952    525.288    -55.664    -9,6%
Telefonia móvel pós-paga    126.0613    1.143.980    -116.633    -9,3%
TV por assinatura    511.053    467.363    -43.690    -8,5%
Outros *    20.544    22.123    1.519    7,7%
Total Geral    3.911.858    3.405.697    -506.161    -12,9%
*Reclamações contra serviços de radiodifusão (Rádio e TV) ou em relação à própria agência reguladora.
Neste ano de 2018, a Anatel promete iniciar processos de fiscalização sobre falhas de informação na oferta e contratação de serviços e nas alterações de planos e pacotes. Também pretende verificar indisponibilidade das informações obrigatórias ao consumidor nos portais online das prestadoras, e as dificuldades em cancelar os serviços.
Estudos realizados pela Superintendência de Relações com os Consumidores da agência indicam que problemas na oferta dos serviços e na clareza das vendas levam às reclamações sobre cobrança, principal motivo de queixa.
Telefonia fixa
Telefonia fixa foi o tipo de serviço cujas reclamações mais diminuíram no ano passado. O resultado se deveu a uma redução no volume de reclamações sobre o funcionamento nas prestadoras Oi, Vivo e Net. A Oi foi a operadora que mais reduziu o número de reclamações, seguida de Vivo e Net.
Telefonia fixa – principais prestadoras
Prestadora    Volume de Reclamações
    2016    2017    2017-2016    Variação
Oi    550.436    407.811    -142.625    -25,9%
Vivo    263.383    230.542    -32.841    -12,5%
Net    111.261    100.970    -10.291    -9,2%
 
No celular, agência mira SVAs
No primeiro semestre de 2017, a Anatel começou a fiscalizar a contratação de Serviços de Valor Adicionado (SVAs) à revelia do usuário. De acordo com a agência, esse movimento fez as operadoras controlarem de forma mais rígida os parceiros, levando à diminuição das reclamações na telefonia móvel pré-paga. Os SVAs são os serviços de conteúdo e aplicativos vendidos através das operadoras. Aqui, a Vivo foi a operadora cujo número de reclamações mais encolheram. Em seguida, vieram Claro, Oi e TIM.
Telefonia móvel pré-paga – principais prestadoras
Prestadora    Volume de Reclamações
    2016    2017    2017-2016    Variação
TIM    266.677    244.952    -21.725    -8,1%
VIVO    135.324    97.199    -38.125    -28,2%
CLARO    109.259    79.725    -29.534    -27,0%
OI    82.747    62.235    -20.512    -24,8%
 
Na telefonia móvel pós-paga, a TIM foi a única que registrou aumento de reclamações. No entanto, em todas as principais prestadoras, as reclamações relativas a cancelamento e a atendimento caíram.
Telefonia móvel pós-paga – principais prestadoras
Prestadora    Volume de Reclamações
    2016    2017    2017-2016    Variação
VIVO    360.326    298.585    -61.741    -17,1%
TIM    296.925    319.740    22.815    7,7%
CLARO    286.082    265.563    -20.519    -7,2%
OI    180.838    152.189    -28.649    -15,8%
 
Banda larga e TV paga
Na banda larga fixa, a Oi liderou a redução no número de reclamações sobre funcionamento e reparo. Esse mesmo tipo de reclamação, mais as relativas à cobrança, foram responsáveis pelo aumento registrado na Net. As reclamações de qualidade e de funcionamento compõem o maior volume de queixas no serviço, 46% do total.
Banda Larga Fixa- principais prestadoras
Prestadora    Volume de Reclamações
    2016    2017    2017-2016    Variação
OI    288.278    227.723    -60.555    -21,0%
VIVO    162.508    149.757    -12.751    -7,8%
NET    74.596    85.188    10.592    14,2%
 
Os assinantes dos serviços via satélite das prestadoras Sky, Claro e Oi formaram o grupo de usuários que apresentou a maior redução no registro de reclamações à Agência Nacional de Telecomunicações na TV por Assinatura. A Net teve um aumento de 7,8% devido a queixas de cobrança após o cancelamento e cobrança em desacordo com o contratado.
TV por assinatura – principais prestadoras
Prestadora    Volume de Reclamações
    2016    2017    2017-2016    Variação
SKY    189.342    169.701    -19.641    -10,4%
NET    150.725    162.428    11.703    7,8%
CLARO    76.054    55.435    -20.619    -27,1%
OI    59.450    44.382    -15.068    -25,3%
VIVO    30.994    32.093    1.099    3,5%
As mais reclamadas
No ranking geral, somando-se todas as reclamações por grupo econômico, a Oi foi a empresa com mais queixas. Estas somaram 894 mil. Em compensação, a companhia reduziu em 23% o número de reclamações em relação a 2016.
Em segundo lugar em número de queixas ficou a Vivo, com 808 mil. A operadora também reduziu os números, no caso, em 15% sobre 2016.
A Claro Brasil, que reúne Claro e Net, teve 749 mil reclamações, 7% menos que um ano anos.
Já a TIM Brasil aparece com 564 mil queixas, mil a mais que em 2016 (+0,2%).
Fonte: Telesíntese

CONVOCAÇÃO DE ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DO SINDICATO DOS TRABALHADORES EM TELECOMUNICAÇÕES E TELEATENDIMENTO NO ESTADO DE GOÁS (SINTTEL/GO)

Nº 02/2018 - 23/01/2018

CONVOCAÇÃO DE ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DO

SINDICATO DOS TRABALHADORES EM TELECOMUNICAÇÕES E TELEATENDIMENTO NO ESTADO DE GOÁS (SINTTEL/GO)

Pelo presente Edital ficam convocados todos os integrantes da categoria representada pelo SINDICATO DOS TRABALHADORES EM TELECOMUNICAÇÕES E TELEATENDIMENTO NO ESTADO DE GOIÁS, associados ou não, a participarem da Assembleia Geral Extraordinária, nos termos do artigo 27 do Estatuto, que será realizada no dia 25 de janeiro de 2018, às 18h00min, em primeira convocação e às 18h30min, em segunda convocação, na sede do Sindicato à Avenida Circular, Qd. 126, Lote 14, nº 768, Setor Pedro Ludovico, CEP 74.823-020, Goiânia, Goiás, para a seguinte ordem do dia: a) Discussão, deliberação e votação acerca do desconto da contribuição sindical, de natureza tributária, de todos os integrantes da categoria profissional, associados ou não, conforme disposto no artigo 8º, inciso IV e artigo 149 da Constituição Federal e artigos 545, 578, 579, 582 e 583 da CLT, servindo a deliberação da Assembleia Geral Extraordinária, na hipótese de sua aprovação, como prévia e expressa autorização ao desconto da contribuição sindical da folha de pagamento dos participantes da categoria em favor do sistema sindical, obedecendo o critério de distribuição estabelecido pela Lei 11.648/2008; b) Autorização para o Sindicato profissional notificar os empregadores, comunicando a expressa autorização para o desconto da contribuição sindical e recolhimento em guia própria junto à Caixa Econômica Federal (Guia de Recolhimento da Contribuição Sindical Urbana – GRCSU), sob pena de juros de mora no valor de 10% (dez por cento) sobre o montante retido, sem prejuízo da multa prevista no art. 553 da CLT e das cominações penais relativas à apropriação indébita, na forma do artigo 545 da CLT. Nos termos do artigo 28, parágrafo quarto, do Estatuto, em primeira convocação serão necessários a presença de 50% (cinquenta por cento) mais um do total de trabalhadores aptos a votarem, em segunda convocação, 30 (trinta) minutos após, o quórum será de qualquer número, sendo os assuntos aprovados por 50% (cinquenta por cento) mais um dos presentes. Registra-se que o número de trabalhadores existentes na data da expedição deste Edital, para efeito de cálculo do quórum de instalação é de 20.000 (vinte mil) trabalhadores, nos termos do artigo 34, IV, do Estatuto. Goiânia, Goiás, 23 de janeiro de 2018.

Alessandro Torres da Mota

Presidente - SINTTEL/GO

Teles grandes e pequenas não querem que MCTIC tire autonomia da Anatel

As operadoras de telecomunicações não querem que a Anatel seja supervisionada pelo MCTIC, conforme propunha a minuta de política de telecomunicações submetida à consulta pública. Para as empresas, representadas pelo SindiTelebrasil (das grandes operadoras) ou Abrint (dos pequenos provedores) a autonomia regulatória da agência não pode ser ferida.
Já está concluído o relatório com o resultado da consulta pública, que se encerrou em novembro do ano passado, da nova política de telecomunicações, batizada por Plano Nacional de Conectividade. O relatório ainda não está público, mas o site Tele.Síntese torna disponível a sua íntegra. Apenas 89 empresas, entidades e pessoas físicas responderam ao questionário. E, se há muitas controvérsias nas contribuições apresentadas, pelo menos há  uma unanimidade: as operadoras de telecomunicações não querem que a Anatel perca a sua autonomia regulatória, como propunha o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações.
Embora as justificativas do MCTIC para a inclusão de alguns artigos na proposta de minuta de decreto fossem para respaldar e proteger as decisões da Anatel, o mercado não entendeu desse modo e pediu para que qualquer tentativa de ferir a autonomia da agência reguladora saia da política.
Na proposta submetida à consulta pública, há três artigos que tratam dessa questão. Eles afirmam que passaria a ser de competência do MCTIC :
adotar as ações e os mecanismos de monitoramento e acompanhamento; estabelecer diretrizes complementares para ação regulatória da Agência Nacional de Telecomunicações  com vistas a atingir os objetivos e diretrizes previstos no decreto; e supervisionar o monitoramento e acompanhamento, a ser realizado pela Anatel das decorrentes dos objetivos e diretrizes previstos no decreto.
Nas respostas à consulta pública Claro, Oi, Telefônica, SindiTelebrasil (que representa as grandes operadoras de telecom) ao lado de Abrint (associação que representa os pequenos provedores de internet)  pedem para que esses artigos sejam excluídos da minuta de decreto. E argumentam:
” O decreto não poderia legitimamente impor essas diretrizes complementares à agência sem que tal fato fosse tido como uma intervenção  branca no órgão regulador, sem amparo legal”, reage a Telefônica.  ” Há uma nítida  separação de competências entre os agentes, cabendo à Anatel a responsabilidade pela definição das ações necessárias  para implantação da política  pública estabelecida pelo MCTIC, visto ser um órgão de natureza técnica”, completa a Abrint.
Ou ainda, reforça a Claro, a   “Lei Geral das Telecomunicações em seu artigo 9o, estabelece que a agência deve atuar como autoridade administrativa independente, assegurando-se lhe, nos termos desta Lei, as prerrogativas necessárias ao exercício adequado de sua competência, não cabendo, portanto, a instituição de supervisão por parte do Poder Executivo”.
Fonte: Telesíntese

Lucro da Samsung passa de US$ 14 bilhões no 4º trimestre

Empresa antecipou ao mercado também a receita para o trimestre, que aumentou 24% em relação ao mesmo período de 2016. Na noite de segunda-feira, anunciou foco em internet das coisa para os próximos anos.
A Samsung divulgou hoje, 9, ao mercado dados preliminares do balanço financeiro do quarto trimestre de 2017. A empresa afirma que registrou lucro equivalente a US$ 14,1 bilhões apenas entre outubro e dezembro, 64% a mais que um ano antes.
O resultado foi puxado pelas vendas de sua unidade de silício, que fabricou mais chips de memória do que nunca. Segundo a empresa, a receita aumentou 24% no trimestre, alcançando o equivalente a US$ 61,8 bilhões. Os dados detalhados serão revelados pela companhia em 31 de janeiro.
Lançamentos da CES 2018
A empresa anunciou ontem, 8, na Consumer Electronics Show, feira de tecnologia que acontece em Las Vegas, Estados Unidos, novidades em produtos para 2018. O foco recairá sobre a internet das coisas. A empresa vai atualizar sua plataforma Smart Things, de conectividade entre diferentes aparelhos. A expectativa é que, até 2020, toda sua linha de produtos tenha a funcionalidade e seja capaz de trocar dados entre si pela internet.
Em produtos, a companhia apresentou uma geladeira conectada, com tela e capaz de conversa com o proprietário através da inteligência artificial Bixby. Também anunciou o laptop 2 em 1 Style 2, que ora funciona como notebook, ora como tablet, reconhece impressões digitais, usa processador Intel I5 oi I7, sistema Windows 10 e vem com SDD de 256 GB, além de 8 GB de RAM.
A grande novidade da companhia foi, no entanto, um conceito de TV modular, em que o usuário pode ampliar a tela acrescentando novos painéis de “microLED”. Na apresentação, a empresa mostrou um modelo de 146 polegadas, batizado de “The Wall” (foto). Mas enfatizou que o conceito modular permite criar aparelhos com qualquer formato e tamanho. Não deu prazo para lançamento no mercado.
O produto  que pretende vender este ano será uma TV QLED, com resolução de 8K e inteligência artificial, prevista para chegar ao mercado no segundo semestre. O que a função de inteligência artificial faz, no caso, é multiplicar resoluções full HD ou 4K para 8K. Terá também a plataforma Smart Things e a Bixby. Nenhum produto tem previsão de chegada ao Brasil.
A fabricante também anunciou a TCU, uma unidade de controle para carros inteligentes, que usará a tecnologia C-V2X da Qualcomm para conectar veículos à rede, compatível com o provável padrão 5G para carros autônomos, mas capaz de ser usado em rede LTE.
Fonte: Telesíntese

Avenida Circular Quadra 126 Lote 14, Setor Pedro Ludovico - Goiânia, Goiás CEP: 74823-020
Telefone: (62) 3227-7900
E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.